quinta-feira, 31 de março de 2011






Nem tão longe que eu não possa ver
Nem tão perto que eu possa tocar
Nem tão longe que eu não possa crer que um dia chego lá
As vezes, acredito que algumas pessoas me deixem imóveis. Acho q sinto medo delas. e é bastante triste viver rodeado de gente que te mete medo. É preciso ter jogo de cintura, aceitar coisas inaceitaveis, pensamento positivo e saber que tudo é passageiro.

O melhor remédio para momentos rapidos e monótomos, rapidos como 100 anos em 1 hora, é respirar, dizer que ta tudo bem, e que vai ficar melhor. O pior é quando isso não adianta, daí tu tem que admitir que ta uma merda e ficar ali, como se esperasse a vida passar com medo.

.

As vezes queremos ser só um ponto. Um ponto vazio, como os outros, sem conteúdo, sem lazer nem sentimento, sem choro, nem vela, um ponto. Afinal, pra tantos é tao facil ser como todo mundo. É tão facil ser a maioria.

Pra mim também seria, pra todos é. Mas a minha perfeccionista consciencia sempre me faz querer ser boa em tudo. Boa com as pessoas, boa nos estudos, e no q tem mais dificuldade. Ser boa. O que é ser bom? E o que é ser um ponto?

O indelével ressaltar é que a maioria não faz a diferença, porque é maioria.
O complexo disso tudo não deixa o assunto ser perfeito.

Quem presa o perfeito, minoria, simplicidade não se contenta em ser só mais um e num mundo tão "igual" rotularmente e preconceito, não deixam que a igualdade real faça-se presente.

A dor e o amor de presar pelo raro diferente e ousado não da segurança, não da chão.
As vezes mesmo não querendo, somos só um ponto, e esse ponto doi. Doi como só mais uma dor na imensidão.

quarta-feira, 16 de março de 2011

dos raros aprendizes.

Se eu morrer antes de você, faça-me um favor:
Chore o quanto quiser, mas não brigue comigo.
Se não quiser chorar, não chore;
Se não conseguir chorar, não se preocupe;
Se tiver vontade de rir, ria;
Se alguns amigos contarem algum fato a meu respeito, ouça e acrescente sua versão;
Se me elogiarem demais, corrija o exagero. Se me criticarem demais, defenda-me.
Se me quiserem fazer um santo, só porque morri, mostre que eu tinha um pouco de santo, mas estava longe de ser o santo que me pintam.
Se me quiserem fazer um demônio, mostre que eu talvez tivesse um pouco de demônio, 
mas que a vida inteira eu tentei ser bom e amigo.
E se tiver vontade de escrever alguma coisa sobre mim, diga apenas uma frase:
-"Foi meu amigo, acreditou em mim e sempre me quis por perto!"
Aí, então derrame uma lágrima.
Eu não estarei presente para enxugá-la, mas não faz mal.
Outros amigos farão isso no meu lugar.

Gostaria de dizer para você que viva como quem sabe que vai morrer um dia, 
e que morra como quem soube viver direito.

Amizade só faz sentido se traz o céu para mais perto da gente, 
e se inaugura aqui mesmo o seu começo.
Mas, se eu morrer antes de você, acho que não vou estranhar o céu.
"Ser seu amigo, já é um pedaço dele..."
Chico Xavier


Algumas pessoas que passam em nossas vidas não passam sozinhas. Elas passam conosco e nos carregam para o melhor que podemos ser, ou para o melhor que elas querem que a gente seja. A grande verdade é que existem pessoas que um dia, estiverem em um túnel escuro, e tiveram de encontrar alguma forma de luz para que pudessem chegar ao fim, emfim, essa luz transbordava dentro delas. E aí, mesmo depois que saíram e aprenderam a brilhar, continuam reluzindo pra todos os demais. Por um dos caminhos milagrosos que o destino me pregou, eu encontrei um amigo que valia por muitos. Valia muito. Digamos que uma dessas pessoas. Passou pela minha vida por no mínimo uns 10 anos, tive a infelicidade de perde-lo a alguns, e agradeço até hoje por ter tido a oportunidade de ter a presença dele em minha vida.
Por pessoas como ele que ainda afirmo e acredito que há bem no mundo, acredito que somos anjos se nos permitirmos, e acredito que os bons, que vão embora cedo, como esse meu amigo, é porque esse mundo era pesado demais para tamanha bondade e evolução. 
Penso que uma das maiores coisas que aprendi com ele foi a respeitar os outros e fazer o bem. Se houvesse alguma palavra que o descreveria era Gentileza. Simples, modesta, bondosa, e acolhedora.
Não digo que o mundo precise de pessoas como ele. Deus sabe doque o mundo precisa e eu não sou Deus.
Mas lamento não existirem pessoas tão grandes como ele, lamento não tê-lo mais em nossas vidas, lamento a dor que causa a falta dele, lamento aprender a suportar perdas tão cedo. 
Perdas também são importantes, elas nos fazem mais fortes e mais compreensivos. Principalmente quando são pessoas eternas.
Pois aprendemos que elas nunca se vão, pois deixam o melhor de si em cada uma das nossas lembranças e em cada uma de nossas atitudes.

Essa, eu dedico pra ele. 
Deve estar por perto, coberto de luz e com anjos em volta, querendo carinhosamente que todos nós sigamos em frentes, com boa vontade e amor, com respeito pela vida.

Gentilmente.

das vontades que eu tenho pra mim.

Que eu continue com vontade de viver,
mesmo sabendo que a vida é, em muitos momentos,
uma lição difícil de ser aprendida.
Que eu permaneça com vontade de ter grandes amigos,
mesmo sabendo que, com as voltas do mundo,
eles vão indo embora de nossas vidas.
Que eu realimente sempre a vontade de ajudar as pessoas,
mesmo sabendo que muitas delas são incapazes de ver,
sentir, entender ou utilizar essa ajuda.
Que eu mantenha meu equilíbrio,
mesmo sabendo que muitas coisas que vejo no mundo
escurecem meus olhos.
Que eu realimente a minha garra,
mesmo sabendo que a derrota e a perda são ingredientes
tão fortes quanto o sucesso e a alegria.
Que eu atenda sempre mais à minha intuição,
que sinaliza o que de mais autêntico eu possuo.
Que eu pratique mais o sentimento de justiça,
mesmo em meio à turbulência dos interesses.
Que eu manifeste amor por minha família,
mesmo sabendo que ela muitas vezes
me exige muito para manter sua harmonia.
E, acima de tudo...
Que eu lembre sempre que todos nós
fazemos parte dessa maravilhosa teia chamada vida,
criada por alguém bem superior a todos nós!
E que as grandes mudanças não ocorrem por grandes feitos
de alguns e, sim, 
nas pequenas parcelas cotidianas de todos nós!

Chico Xavier


 

terça-feira, 8 de março de 2011



To me dando um tempo. Um tempo pra escolher o que quero, um tempo pra olhar em volta, um tempo pra tirar conclusões, e elas demoram pra chegar. To cansada desse jogo infinito, das horas cobrando respostas, to cansada das coisas de sempre. De ouvir sempre a mesma coisa.  Não to a fim de começar coisas agora que daqui uns dias acabem, não quero ouvir a mesma fala de sempre, não to com saco pras mesmas cenas, se repetindo, com os mesmos erros, lentamente. Não to querendo coisa requentada, muito menos mal-dormida. Não to querendo mal fobia, daquelas que vicia. To querendo me viciar em coisa boa, ficar horas desligada sem pensar no que pode ser..
Quero menos coisa obvia, então não me venha com novidades momentaneas.
To num tempo avançado em que frases são músicas, textos são livros e vontades, são leis. 

Não é facil assim a gente crescer, exige sonos profundos, higiene mental. Exige faxina no quarto, nos livros, nos cd's antigos. Exige limpeza nas pastas do computador... e tudo isso, leva tempo. 

Viver não é um simples amanhã, viver é um sempre. Vivemos indo e vindo nas vontades e arcando com cada uma delas. E, pela primeira vez, eu preciso ter vontade de alguma coisa. Mesmo que pouca, ta me faltando paixão. E isso, também leva tempo.


As vezes vivemos dias dificeis, dias em que dispensamos tentar outra vez, dias em que resolvemos deixar pra depois, dias em que se fazem rios. Dias em que chove. E não é aquela chuva boa de ficar olhando pela janela e pensando saudades, é a chuva que parece que nunca vai acabar para que possamos ir brincar no parque. Chuva as vezes é triste, é o fim das soluções em camada a muitos erros. Algumas chuvas te fazem ver estrelas e outras te fazem perder o foco. Quando chover, é bom preparar a cabeça, para que possam vir boas idéias, ou então, perde-se no infinito das horas, onde balançam fatos mas não os melhora.